• Home
  • keyboard_arrow_right Podcast
  • keyboard_arrow_right Destaque
  • keyboard_arrow_rightPodcasts
  • keyboard_arrow_right
  • keyboard_arrow_right Tá Na Nuvem 160 – Estratégia de manutenção em Cloud Computing
play_arrow

Podcast

Tá Na Nuvem 160 – Estratégia de manutenção em Cloud Computing

Vinícius Perrott 28 de agosto de 2020 3953 17 3


Background
share close

Existem muitas estratégias para garantir um ambiente em Cloud Computing mais resiliente a falhas, mas existe uma que pode de ajudar a ser mais simples!

clique aqui e assine
Backup protegido de ransomware é com a Backup Garantido.

Ambientes em Nuvem: como desenvolver uma estratégia de manutenção? Afinal de contas, tudo lá está rodando 24h/dia. Qual a melhor estratégia? A palavra “depende” vem como a principal resposta. Mas, pulando um pouco essa etapa, o que que a gente vai ter que definir exatamente quais são os workloads que a gente vem trabalhando? 

Óbvio, se existe uma modernização da minha aplicação em ambiente em Nuvem (como containers, plataforma com serviço e tantas outras arquiteturas já mais modernas), elas próprias já oferecem alguma estrutura de manutenção, às vezes uma replicação. Utilizar um load balance é uma ótima estratégia quando você está trabalhando com infraestrutura como serviço. Neste caso, máquinas virtuais.

Qual melhor estratégia de manutenção usar?

Você pode criar uma máquina réplica do seu ambiente introdução; implementar as suas correções e as suas melhorias nesse novo ambiente que você replicou; redirecionar o seu load balance (que você estava aprontando para o ambiente de produção para o novo ambiente) e testar. E caso aconteça algum tipo de erro, o ambiente de produção antigo, ele não é afetado. Em poucos cliques, independente da sua plataforma, você consegue redirecionar para o novo e para o antigo. 

Isso é super interessante para ganhar mais agilidade, mesmo em ambiente de produção baseado em infraestrutura como serviço de máquina virtual. Se utilizar um serviço mais moderno, como kubernetes e tantos outros, existe já um conceito maior onde você pode fazer um deployment ou redeployment da sua aplicação e fazer fallback e tudo mais. 

Mesmo se a sua aplicação (ou mesmo você) não tenha pretensão nenhuma de utilizar uma estrutura de balanceamento de carga, é importante que vislumbrar isso como alternativa de rebuilding. Uma alternativa de criar uma janela de manutenção mais atemporal. 

Quais as facilidade e benefícios?

Isso é legal, porque alguns provedores de Nuvem não cobram serviço de balanceamento de carga. Então você coloca isso na sua estratégia de arquitetura, pois já que não tem custo extra, vale a pena você já configurar. Claro, tem um ponto a mais de manutenção, mas é um benefício muito maior do que esse tempinho a mais de manutenção de um load balance. 

E veja o benefício de produtividade: você consegue fazer manutenção do seu ambiente de produção enquanto está em produção durante o horário comercial. Você evita gerar horas extras e trabalhar de madrugada, ou porque só em determinadas janelas de utilização do seu sistema esse tipo de correção é necessário. 

Então, a grande sacada é: algumas aplicações só podem ser mudadas com uma janela muito mais bem elaborada, mas a maioria das aplicações em uma estratégia simples de 1 LB em Nuvem, já consegue fazer uma manutenção no horário de expediente normal, sem ter que trabalhar hora extra.

E aí, como anda sua estratégia de manutenção das suas aplicações? Tudo já bem arquitetado? Utiliza LB ou não? Utiliza outra estratégia? Qual? Comenta lá no nosso grupo do Telegram!

Ansiedade
  • cover play_arrow

    Tá Na Nuvem 160 – Estratégia de manutenção em Cloud Computing
    Vinícius Perrott

Tagueado como: , , .

Avaliar a postagem
Episódio anterior
Comentários (0)

Deixe um comentário

Seu e-mail não será divulgado.